sábado, 26 de maio de 2018

ANA GOMES DIXIT

A sua intervenção é provavelmente uma das mais aguardadas tendo em conta as exigências que fez para este congresso, nomeadamente quando disse que o PS deve debater o caso de José Sócrates e de Manuel Pinho e como o PS se deixou instrumentalizar por “corruptos e criminosos”. Acha que as suas exigências vão ser ouvidas?

quarta-feira, 23 de maio de 2018

INCONGRUÊNCIAS EM PORTUGAL

INCONGRUÊNCIAS DO RECTANGULO...ZINHO
A ANEDOTAem que se transformou o nosso País:

-Uma adolescente de 16 anos pode fazer um aborto
mas não pode votar
 
- Um jovem de 18 anos
recebe 200 € do Estado para não trabalhar;
um idoso recebe de reforma 236 €
depois de trabalhar toda a vida .
 
-Um marido oferece um anel à sua mulher
e tem de declarar a doação ao fisco.
 

-O fisco penhora indevidamente o salário de um trabalhador
e demora 3anos a corrigir o erro.
 

-Nas zonas urbanas mais problemáticas
existe 1 polícia para cada 2000 habitantes;
o Governo diz que não precisa de mais polícias.
 
-Um professor é sovado por um aluno
e o Governo diz que a culpa é das causas sociais.
 
- O café fechou porque não tinha WC para homens, mulheres e
empregados.

No Fórum Montijo o WC da Pizza Hut fica a 100mts
e não tem local para lavar mãos.
 
- O Governo incentiva as pessoas a procurarem energias alternativas ao petróleo
e depois multa quem coloca óleo vegetal nos carros
porque não paga ISP (Imposto sobre produtos petrolíferos).
 
- Nas prisões são distribuídas seringas por causa do HIV,
mas é proibido consumir droga nas prisões!
 
- Um jovem de 14 mata um adulto,
não tem idade para ir a tribunal.
_
Um jovem de 15 leva um chapada do pai, por ter roubado dinheiro para droga, e é violência doméstica!
 
- Aos militares que combateram em África a mando do Governo da época na defesa de território nacional
não lhes é reconhecido nenhuma causa nem direito de guerra, mas o primeiro-ministro elogia as tropas que estão em defesa da pátria no KOSOVO, AFEGANISTÃO E IRAQUE.
 
- Começas a descontar em Janeiro o IRS
e só vais reaver o excesso em Agosto do ano que vem,
não pagas as finanças a tempo e horas;
mas passado um dia já estás a pagar juros.
 
- Fechas a janela da tua varanda e estás a fazer uma obra ilegal,
constrói-se um bairro de lata e ninguém vê.
 
- Se o teu filho não tem cabeça para a escola e com 14 anos o pões a trabalhar contigo num oficio respeitável,
é exploração do trabalho infantil.
Se és artista e o teu filho com 7 anos participa em gravações de telenovelas 8 horas por dia ou mais,
       a criança tem muito talento, sai ao pai ou à mãe!
 
-Numa farmácia pagas 0.50€ por uma seringa que se usa para dar um medicamento a uma criança.
Se fosse drogado, não pagava nada!
 
Obrigado, Portugal. Estamos orgulhosos.

domingo, 20 de maio de 2018

SER FELIZ: PAPA FRANCISCO


SER FELIZ : Papa Francisco - ABSOLUTAMENTE IMPERDIVEL!
"Este PAPA FRANCISCO é uma BENÇÃO para a Humanidade."
 
 
SER FELIZ É...
(Uma belíssima mensagem para todos)
Podes ter defeitos, estar ansioso e viver irritado algumas vezes, mas não te esqueças que a tua vida é a maior empresa do mundo.
Só tu podes evitar que ela vá em decadência.
Há muitos que te apreciam, admiram e te querem.
Gostaria que recordasses que ser feliz, não é ter um céu sem tempestades, caminho sem acidentes, trabalhos sem fadiga, relacionamentos sem decepções.
Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas também reflectir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas ter alegria com os aplausos, mas ter alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz não é uma fatalidade do destino, mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar actor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no longínquo de nossa alma.
É agradecer a Deus cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que seja injusta.
É beijar os filhos, mimar os pais, ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples, que vive dentro de cada um de nós.
É ter maturidade para dizer ‘enganei-me’.
É ter a ousadia para dizer ‘perdoa-me’.
É ter sensibilidade para expressar ‘preciso de ti’.
É ter capacidade de dizer ‘amo-te’.
Que tua vida se torne um jardim de oportunidades para ser feliz…
Que nas tuas primaveras sejas amante da alegria.
Que nos teus Invernos sejas amigo da sabedoria.
E que quando te enganares no caminho, comeces tudo de novo.
Pois assim serás mais apaixonado pela vida.
E podes facilmente encontrar novamente que ser feliz não é ter uma vida perfeita.
Mas usar as lágrimas para regar a tolerância.
Usar as perdas para refinar a paciência.
Usar as falhas para esculpir a serenidade.
Usar a dor para lapidar o prazer.
Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Nunca desistas….
Nunca desistas das pessoas que amas.
Nunca desistas de ser feliz, pois a vida é um espectáculo imperdível.

 
 
 

terça-feira, 8 de maio de 2018

HIENAS POLÍTICAS

Nada que me venha a surpreender por parte desse antro de "hienas" políticas que é o PS, pois a forma como o partido apoiou António Costa quando este apunhalou o António Seguro para tomar a cadeira do poder do PS mostra bem o calibre das pessoas que formam esse partido, portanto isto que estão a fazer relativamente ao 44 é apenas uma brincadeira de crianças. 
Na realidade, este mediatismo todo é apenas uma manobra de diversão para fazer o povo português esquecer o caso do "des...
Ver Mais

CARTA AO CHEFE SUPREMO DAS FORÇAS ARMADAS

ARTIGO ASSINADO POR PEDRO TINOCO FARIA

OS MILITARES PORTUGUESES SÃO OS MELHORES DO MUNDO...até depois de mortos

O Comandante Supremo das Forças Armadas, foi visitar a Força Nacional Destacada na RCA  e disse:

" Os militares Portugueses são os melhores do Mundo"

Tambem concordo com o Comandante Supremo das Forças Armadas, são na realidade os melhores do Mundo, com combatividade, capacidade de ultrapassar situações em condições severas, espirito de corpo e de unidade quando bem Comandados, Resistentes e com uma capacidade de aculturação impar e de compaixão pelos povos que sofrem..... consegui felizmente, Na Bosnia no Kosovo , no Afeganistão e Timor testemunhar o seu valor impar......e concordo tambem com o Comandante Supremo das Forças Armadas de serem os melhores, porque mesmo morrendo em combate as suas viuvas e filhos conseguem sobreviver comendo as medalhas e as condecorações que lhes dão, porque a pensão de preço de Sangue é muito inferior à pensão vitalicia de um deputado que até tem empresas com negocios com o estado como por exemplo o que irá receber o Srº Luis Montenegro , Maçon de eleição e com empresas com adjudicações directas ao Estado.

Sr Comandante Supremo das Forças Armadas o Soldado Português é o melhor do mundo porque depois de ferido em combate e invalido resiste ao abandono do estado e da Nação, AO ESQUECIMENTO E INGRATIDÃO DE TODA UMA NAÇÃO ENCABEÇADOS PELA CLASSE POLITICA e continua a luta pela vida e pela Nação, tambem resistentes e fortes soldados os que são vitimas de stress pos traumatico abandonados aos seus fantasmas, aos  Velhos soldados reformados que vivem em condições miseraveis, que combateram em condições dificeis e hoje com pensões miseraveis... são sim os melhores soldados do mundo, porque mesmo com o seu desprezo e do seu partido , o PSD e de todos os partidos da Nação e de todos os politicos nos ultimos anos, com plano sistémico de desvalorização da profissão Militar e com a passividade e subserviência de muitos dos Chefes das Forças Armadas, continuam  a pautar a sua vida com principios de obediência e honra

O sargento-ajudante Gil Fernando Paiva Benido, membro da Missão de Treino da União Europeia no Mali, 42 anos, casado e pai de duas filhas, morreu em junho devido a confrontos "na sequência de um ataque de elementos rebeldes" ao hotel onde se encontrava em dia repouso, de acordo com o Exército.

A pensão de sangue, ao abrigo da lei, não foi recebida até hoje passados nove meses da sua morte, o militar deixou dois filhos menores.
foi atribuída na semana passada uma medalha póstuma ao militar mas a família não come as medalhas"

Hoje foi a enterrar um militar francês tambem vitima de terrorismo, tal como o militar Português, e vêm logo os Deuses da guerra que nunca ouviram um tiro, porque se borravam pelas calças abaixo, dizer: " Ah mas o francês deu a vida por uma pessoa no supermercado.....foi sublime" Vão mamar na quinta pata do cavalo, hipocritas...a morte de um jovem na guerra não é sublime, o militar Português morreu pelo povo Portugues para que possamos viver em paz tal e qual como o francês a cumprir uma missão. Não ha mortes tipo A e tipo B, nas mortes de militares em combate, de polícias ao serviço, não há aristocratas, não há  tenentes coronéis, sargentos ou soldados, na morte há homens que dão a vida pela sua Patria numa missão especifica,

A diferença entre estes dois Militares, e concordo com o Comandante Supremo das Forças Armadas,  é  que francês , tal como outros Franceses, ingleses, Americanos, vão ser relembrados pelos seus  Povos, as viuvas e os orfãos, amanha ja têm na conta a pensao de preço de sangue.......

.....Nós os Militares Portugueses somos os "melhores do Mundo", mesmo depois de esquecidos e acusados de xulos do Estado, apagados nas memorias do 25 de Novembro por todos os partidos politicos, e que lhe permitiu  a si Srº  Presidente ocupar o lugar que ocupa hoje,  continuamos a morrer para que todos vocês vivam em paz e continuamos a ser esquecidos, com pensões miseraveis e em atraso.

Ao Chefe do Estado Maior do Exercito Comandante do Sargento Ajudante Gil Benido, os meus parabens mais uma vez pelo seu elevado desempenho nas funções em defesa dos seus Homens.

Do comandante Supremo não espero hipocrisia, não espero que diga que somos os melhores do Mundo e já o sabemos desde D. Afonso Henriques, não nos está a dar nenhuma novidade, espero de si é que resolva os nossos assuntos e não permita que esta corja politica, nos ponha a apagar fogos , a ser policias maritimos e ajudantes de pedreiros...Espero de si, o Exemplo que é a unica forma de comandar, de Selfies está o mundo cheio.

O Comandante Supremo das Forças Armadas, não pode admitir um caso de Tancos com impunidade e ligeireza de um Ministro da Defesa, que nunca calçou Botas e teve o peso de uma arma nas mãos, que mete militares com missões de bombeiros,  de um Chefe do Exercito que exonera Coroneis para salvar a pele e deixa uma viuva nove meses sem pensão de preço de Sangue, um Comandante SUPREMO, não precisa de dizer que os Soldados Portugueses são os melhores do mundo e depois com  impunidade deixar que merceiros destruam o que demorou 1000 anos a construir, O Chefe Supremo tem de fazer o jus ao seu nome de SUPREMO, e defender a sua tropa...palavras estamos fartos Sr Comandante Supremo.

Atingimos os cumulo da hipocrisia  e da falta de moral  e da mentira, atingimos o patamar e limiar para a desobediência civil

Tão felizes que vi alguns camaradas a pular e a babar, ...somos os melhores do mundo, o presidente disse isso publicamente....cacete, so posso dizer cacete...disse-o tarde, disse-o  mas durante  sua vida politica foi mais do mesmo, pouco  fez pela defesa dos militares ...

Eu tambem sou orfão de Guerra e sou Militar e sabe o que mudou desde o 25 de Abril Srº Comandante Supremo? Dantes ainda havia o 10 de junho, o dia da raça, hoje estamos pior do que estavamos, nós militares fizemos uma revolução  de abril, fizemos um 25 de Novembro para por no poder   uma classe Vil de politicos de juizes corruptos,  de maçons com interesses secretos e mesquinhos,uma Sociedade de Rarissimas e de banqueiros sujos, uma geração imoral de gente sem valores,  a vossa geração, a que nos governa que agora todos os dias prova a massa de que é feita,

Esta Informação foi-me enviada por uma viuva de guerra, que sabe na pele o que é o esquecimento da Nação, com dois filhos pequenos , com uma pensão ainda mais pequena que os filhos e com um esquecimento so tamanho do " Da ditadura democratica  Portuguesa".....
e que nunca tirou uma selfie com o Comandante Supremo..disse-me..para escreveres qualquer coisa...

Obrigado pela lembrança Teresa, bem hajas.

Pedro Tinoco de Faria

quarta-feira, 2 de maio de 2018

É UMA TEIA

CORRUPÇÃO

A ponta do iceberg /premium

1.555
174
Não há fatalidade na corrupção e sabemos que os regimes mais limpos são os mais democráticos. Mas enquanto formos tão dóceis não se conseguirá impor a limpeza que o sistema político-económico precisa.
Percebo bem que dirigentes do PS queiram circunscrever os escândalos dos alegados pagamentos a Manuel Pinho e José Sócrates a casos isolados, como se eles actuassem sozinhos. E também percebo que apoiantes do anterior governo queiram circunscrever ao Partido Socialista a crise ética em que vivemos. Mas, infelizmente, não dá. A crise é mesmo do nosso regime. Gostava muito de dizer que o problema é o Sócrates e o Pinho. Ou até que o problema é o Partido Socialista. Mas, infelizmente, todos sabemos que não é verdade.
Desde o Estado Novo que o capitalismo português é uma rede de interesses, em que política e negócios se misturam da pior maneira, e isso não mudou com a democracia. Basta lembrar como nasceu o actual regime económico-financeiro: com privatizações em que os amigos foram sendo protegidos, e as empresas foram sendo entregues não a quem pagasse mais por elas, mas a quem os políticos queriam. Foi Mário Soares que garantiu a Ricardo Salgado o financiamento de que este necessitava para ficar com o BES. Nas palavras de Mário Soares, tratou de “arranjar dinheiro a um tipo que o não tem, mas poderá vir a ter”. Mas este é apenas um exemplo. É fácil dar outros. Foi o governo de Cavaco Silva que encontrou formas de financiar Champalimaud para que este ficasse com a Mundial Confiança, que serviu de plataforma para depois comprar o Banco Pinto & Sotto Mayor. É este o capitalismo português: uma teia de favores e de pagamento de favores entre o poder político e o económico.

Insisto, sei que é muito cómodo ver apenas o Partido Socialista envolvido nestes esquemas. E é tão pena que não seja assim. Basta lembrar três nomes: José Oliveira e Costa, Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais de Cavaco Silva, Duarte Lima, líder parlamentar do PSD de Cavaco Silva, e Dias Loureiro, um dos ministros mais poderosos de Cavaco Silva. Os primeiros dois já foram condenados a severas penas de prisão; o segundo até de homicídio foi acusado! E Dias Loureiro viu as acusações contra si retiradas num despacho de arquivamento que garantia que «subsistem as suspeitas, à luz das regras da experiência comum», que indicam que andou metido em negócios cujo objectivo «foi tão só o enriquecimento ilegítimo de terceiros à custa do prejuízo do BPN, nomeadamente de si e do Dr. Oliveira e Costa». É difícil alguém ser ilibado de forma tão condenatória como Dias Loureiro o foi. Os governos do PS podem ter Manuel Pinho e Armando Vara, mas, reconheça-se, o PSD tem cromos suficientes para a troca. Não falo de Sócrates porque, realmente, nada se lhe compara.
E, como lembrou Nuno Garoupa, nas Conversas Cruzadas da semana passada, na Rádio Renascença, até hoje não se ouviu o CDS pronunciar-se «sobre os submarinos e o facto de haver pessoas na Alemanha a cumprir penas de prisão por corromper e em Portugal os processos estarem arquivados». E, como se vai percebendo graças aos PanamaPapers, há mesmo pagamentos feitos sobre este assunto. Só falta saber a quem.
Não consigo deixar de concordar com a eurodeputada do Partido Socialista Ana Gomes quando diz que é «absolutamente escandaloso que os procuradores até hoje não tenham ido investigar os interventores políticos neste processo. Paulo Portas, Mário David, que era conselheiro político de Durão Barroso, e o próprio Durão Barroso. O processo documenta a ligação direta entre Paulo Portas e Ricardo Salgado. Quem impôs o BES aos alemães no esquema de engenharia financeira para financiar a compra dos submarinos foi Portas, quando eles queriam a Caixa Geral de Depósitos. Isso está no processo. E a decisão política de entregar o negócio aos alemães é de Durão Barroso. Isso também está no processo. Com tudo o que se sabe agora sobre o Grupo Espírito Santo, Ricardo Salgado, Hélder Bataglia e o esquema da ‘Operação Marquês’, por que razão não atuariam também assim noutras vezes anteriores?» Bem sei que muitos a consideram uma desbocada, mas a verdade é que Ana Gomes começa a tornar-se a consciência do regime democrático português.
E não vale a pena pensar que os casos que referi são apenas casos de polícia. Há muitos casos que o não são e que ilustram bem naquilo que se tornou o capitalismo português. Basta ver como Joaquim Ferreira do Amaral foi trabalhar para a Lusoponte, depois de enquanto Ministro das Obras Públicas lhes ter garantido rendas fabulosas, ou de como a construtora Mota Engil não deixou que o ex-Ministro das Obras Públicas do PS Jorge Coelho ficasse desempregado muito tempo. Casos destes são às dezenas ou centenas. Muito mais exemplos poderiam ser dados. Não foi Miguel Frasquilho, que hoje está na administração da TAP, que também recebeu umas transferências muito mal explicadas do BES? E se acrescentarmos a porta giratória entre grandes empresas e reguladores sectoriais percebemos por que motivo vivemos no paraíso das rendas. E, na verdade, há muitos deputados que fazem aquilo de que Manuel Pinho é acusado: receber um ordenado enquanto estão em funções.
Mas somos tão dóceis. Isso diz tanto sobre nós. É quase comovedora a forma como somos apanhados de surpresa com estas notícias sobre Pinho. Tivemos cá a troika que no seu programa para a regeneração da economia portuguesa tinha como ponto essencial o combate às rendas. Mas a EDP soube precaver-se e contratou Eduardo Catroga logo depois de este ter negociado o memorando com a troika pelo lado do PSD. E, à medida que o tempo passava e as rendas se mantinham, nem um sobrolho levantávamos. Henrique Gomes, secretário de Estado da Energia na altura, bem clamou contra os privilégios da EDP. Mas era como se lutasse contra moinhos de vento. Foi corrido em 9 meses. Tivemos um ministro da Economia decente, o Álvaro Santos Pereira, que quase explicitamente pediu à opinião pública que o apoiasse nessa luta dizendo-nos que com a demissão de Henrique Gomes se tinham aberto garrafas de champanhe no escritório de António Mexia. António Mexia que era (e é) Presidente do Conselho de Administração da EDP e que foi agraciado por Cavaco Silva com a Grã-Cruz da Ordem do Mérito Empresarial. Tudo isto se passou à nossa frente, ao mesmo tempo que a nossa preocupação era com o facto de termos um ministro que era tão pacóvio que queria ser tratado por Álvaro. Que alívio que foi quando o Álvaro foi substituído por um ministro a sério, com peso político: o António Pires de Lima.
Tal como foi à nossa frente que a EDP, de António Mexia, entregou mais de um milhão de euros à Columbia University, onde Manuel Pinho estacionou como professor visitante. Posso estar a lembrar-me mal, mas não me lembro de qualquer comoção nacional contra este “patrocínio”. E a docilidade continua. António Mexia foi constituído arguido por causa das rendas que o Estado paga à EDP, por despacho de Manuel Pinho, a qualquer momento, pode ver deduzida uma acusação, mas nem assim é seriamente confrontado pelos jornalistas que o entrevistaram aquando da sua recondução como presidente da EDP.
Este meu artigo não é muito mais do que um desabafo, pelo qual peço desculpa. Mas, na verdade, se não podemos esperar que sejam os actuais políticos, por sua iniciativa, a regenerar o regime democrático e se não podemos contar com a sindicância dos jornalistas nem para incomodarem os compagnons de route de Sócrates ou de Manuel Pinho nem para questionarem os novos Ricardos Salgados, terão de ser os portugueses a mobilizarem-se com esse fim. Não há qualquer fatalidade na corrupção. Os dados internacionais dizem-nos que os regimes mais limpos são os mais democráticos. Mas enquanto continuarmos tão dóceis, tão compreensivos, a gostar muito de mandar bocas pouco consequentes, mas sem uma verdadeira sindicância no combate a conflitos de interesses, não haverá forma de impor a limpeza que o nosso sistema político-económico necessita. Quando muito, vai-se queimando aqui e ali um bode expiatório, de que Manuel Pinho é apenas o último exemplo.